Você está aqui: Página Inicial > Olimpíada: polícia integrada trará segurança

Notícias

Olimpíada: polícia integrada trará segurança

Seminário da CPI dos Crimes Cibernéticos debateu atuação na segurança e prevenção a terrorismo físico e nas redes

por publicado: 31/03/2016 15h53 última modificação: 31/03/2016 15h53

Fonte: Site da Câmara.

Especialistas em seguran- ça afirmaram na terça-feira (29) que a chave para o sucesso da segurança na Olimpíada será a integração das polícias. A segurança cibernética dos Jogos do Rio foi debatida em seminário da Comissão Parlamentar de Inquérito dos Crimes Cibernéticos, requerido pelos deputados Silas Freire (PR-PI) e Delegado Éder Mauro (PSD-PA). Para Silas Freire, é preciso se manter alerta. “As Olimpíadas representam vários riscos de segurança. Cito os protestos – contra o governo, contra entidades de organização – principalmente pela computação. Há informação de que terroristas mundiais poderiam estar tentando captar jovens brasileiros, não só para ataques cibernéticos como ataques físicos”, disse.

Planos de prevenção – Para o representante do Ministério da Justiça William Murad, será importante criar parcerias com entidades de segurança estrangeiras. Ele é diretor de Inteligência da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos e disse que o ministério já está coordenando uma série de planos de prevenção de crimes.

“Vem sendo finalizado um plano operacional e seus protocolos de ação integrada em relação ao policiamento ostensivo de portos e aeroportos, das instalações olímpicas de áreas impactadas, como regiões turísticas, principalmente da cidade do Rio de Janeiro”, afirmou.

Lei Antiterrorismo - Na opinião do delegado da diretoria executiva da Polícia Federal, Elmiz Junior, a lei que tipifica o crime de terrorismo (13.260/16), sancionada em março, facilita as operações durante os jogos. “Uma mochila esquecida em um saguão do aeroporto, que pode ser nada, de uma hora para outra pode, após investigação policial, ser caracterizada como uma bomba. Também uma possível mochila no embarque de uma seleção, que causa grande preocupação, pode ser só uma mochila esquecida. Então, essa lei nos traz a capacidade de investigar de maneira concreta, utilizando todas as medidas que a autoridade policial tem para a investigação”, disse.